Por R$ 100, adolescentes levaram menina de 11 anos para estupro coletivo em pedreira, diz polícia

Please enter banners and links.

Por R$ 100, dois dos três adolescentes apreendidos pela morte e estupro de uma menina indígena de 11 anos levaram a garota para o local do crime, na madrugada de segunda-feira (09), em Dourados, a 210 quilômetros de Campo Grande. Outros dois homens, de 20 e 32 anos, estão presos pelo crime. corpo da vítima foi encontrado cerca de oito horas depois do crime.

De acordo com o delegado Erasmo Cubas, responsável pelas investigações, os meninos de 13 e 14 anos contaram que bebiam na casa da criança e quando saíram para comprar mais bebidas se depararam com outros duas pessoas: um adulto e um garoto de 16. Estes então fizeram a proposta e depois pagaram.

De acordo com o delegado Erasmo Cubas, responsável pelas investigações, nenhum dos cinco suspeitos do abuso e morte demonstra estar arrependido. “Não tem arrependimento nenhum”.

R$ 100

Os garotos aceitaram a proposta para receber R$ 100, buscaram a menina e “arrastaram e deram socos nela” até chegar nas proximidades da pedreira. Lá, receberam o dinheiro e compraram mais bebida alcoólica e cigarros.

“Compraram 5 corotes de pinga. Obrigaram a menina a tomar. Ela ficou totalmente embriagada. Os quatro estupraram ela. Depois o tio [da vítima] chegou, não fez nada e ainda estuprou ela. Aí depois tiveram a ideia de jogar ela”, disse o delegado, com base nos depoimentos dos cinco suspeitos de envolvimento.

Ainda conforme Cubas, a menina morava com o tio e outros familiares. Na noite do estupro, ele saiu para procurá-la, encontrando-a sendo estuprada e participou do crime.

Depois que o corpo foi encontrado, o tio foi ouvido pela polícia como testemunha e não falou nada sobre o envolvimento dele. Com as investigações, se chegou à suspeita de participação dele e, novamente levado à delegacia de Polícia Civil, confessou que também havia estuprado e matado a sobrinha.

Enquanto a criança era abusada, ela chegou a gritar por socorro e pedia para que os envolvidos parassem. Ela chegou a desmaiar e ao recobrar a consciência, os suspeitos contaram que a menina voltou a gritar, momento que decidiram jogá-la do penhasco. “Todo mundo arrastou ela para o penhasco”, falou o delegado.

Os dois homens foram encaminhados para a penitenciária estadual de Dourados. Os três adolescentes, de 13, 14 e 16 anos, foram apreendidos e levados para a Unidade Educação de Internação (Unei), também na cidade ao sul do estado.

De acordo com o delegado Erasmo Cubas, responsável pelas investigações, todos os cinco envolvidos deverão responder por estupro de vulnerável e homicídio qualificado. O tio da vítima deve também deve responder por feminicídio, segundo o delegado.

(*) G1 MS / Foto: Adílson Domingos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *